Tentando se aliar ao PT, Brandão já chamou Lula e Dilma de estelionatários eleitorais

O vice-governador Carlos Brandão movimenta-se nos bastidores com o objetivo de atrair para seu projeto de chegar na titularidade do comando do Palácio dos Leões, em 2022, o PT, partido dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff.

Filiado ao PSDB, Brandão até já cogita a possibilidade de abandonar o ninho tucano para ingressar em um partido do campo da esquerda, o que, na sua avaliação, facilitaria uma aliança com o petismo, oferecendo a este uma posição de destaque – a candidatura ao cargo de vice-governador, por exemplo – na sua campanha do ano que vem.

No entanto, o tucano terá que fazer esforço hercúleo para convencer a executiva nacional do Partido dos Trabalhadores e, em especial, o próprio Lula.

O ex-presidente e os dirigentes nacionais da sigla já fecharam questão de que os palanques eleitorais nos Estados serão determinados por eles, independentemente das preferências e interesses pessoais dos diretórios regionais. 

Paralelo a isso, Brandão enfrenta forte resistência de petistas históricos, como o ex-ministro José Dirceu que, em recente visita ao Maranhão, deixou clara sua preferência por um acordo entre o PT e o PDT, do senador Weverton Rocha, também pré-candidato ao Leões e líder de todas as pesquisas de intenção de voto divulgadas até o momento.

Lula e os petistas da nacional também levarão em conta, para a formação das alianças estaduais, o histórico político dos pré-candidatos, querendo estar perto daqueles que sempre estiveram ao seu lado.

E nesse quesito, Carlos Brandão também cai em desgraça.

Em uma rápida busca no site do PSDB nacional, encontra-se uma matéria na qual Brandão, no ano de 2014, quando exercia o cargo de deputado federal pelo PSDB, comentava o atraso das obras de implantação da Refinaria Premium I, no município de Bacabeira.

O empreendimento foi uma das principais bandeiras da campanha de Dilma em 2010, ano no qual ela e o então presidente Lula lançaram a pedra fundamental da obra.

Para o então deputado federal Carlos Brandão, o longo atraso mostra [ou mostrou] que a refinaria virou um caso de estelionato eleitoral.

“Além disso, ainda existem denúncias de superfaturamento e desvio de verba”, reprovou o tucano, à época, quando já se preparava para encarar, na condição de candidato a vice-governador, a campanha encabeçada pelo seu aliado Flávio Dino, ex-comunista e que acabou elegendo-se governador do Maranhão no primeiro turno.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: